segunda-feira, 6 de novembro de 2006

Escrever é preciso...

O SEU SANTO NOME
Não facilite com a palavra amor.
Não a jogue no espaço, bolha de sabão.
Não se inebrie com o seu engalanado som.
Não a empregue sem razão acima de toda razão (e é raro).
Não brinque, não experimente, não cometa a loucura sem remissão
de espalhar aos quatro ventos do mundo essa palavra
que é toda sigilo e nudez, perfeição e exílio na Terra.
Não a pronuncie.

(Poema extraído do livro Corpo, de Carlos Drummond de Andrade, editora Record)

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home