domingo, 2 de junho de 2013

Uma carta ao Sr. Feliciano e a todos os que ficam colocando fotos de tomadas no Facebook














Resolvi escrever esse desabafo porque cansei.


  • Cansei de ver as pessoas se intrometerem nas vidas umas das outras. 
  •  Desde pequena nunca entendi como - nem por quê - alguns tantos tentavam impor sua fé aos outros. Agora vejo incontáveis desabafos de pessoas dizendo que “Ser gay está na moda”, que eu resolvi falar também. 
  • Doce é a minha ilusão de que vou conseguir fazê-los refletir, mas vou me valer da minha cidadania para dizer o que penso também. Ser gay não está na moda. O que está na moda é a liberdade de assumir a própria sexualidade. Com o mundo repleto de pessoas que adoram julgar e são cheias de verdades, ter a coragem de se expor é digno de aplauso sim. Por favor, parem de ditar as suas regras para quem não precisa delas, ou não as quer. 
  • Claro que vocês também têm a liberdade de se expor, mas sexualidade é algo muito pessoal. Se vocês forem pessoas monogâmicas, só há então uma pessoa no mundo cuja opção sexual deve lhes interessar: a do seu amor. Eu acredito que você só deve se preocupar com opção sexual de alguém se estiver interessado em ter relações com ela. Caso contrário, isso não lhes diz respeito. Vocês entenderam? 
  • Sou uma entusiasta da liberdade, mas também acredito que ser livre é ser responsável. E a liberdade de uma pessoa vai até onde começa a da outra. Sinto falta disso no Brasil. Em outros lugares deve faltar também, mas como vivo aqui, posso afirmar sem medo de errar. Muita gente ainda precisa aprender a se comportar no mundo. Mas isso se aplica às pessoas de um modo geral, independentemente de sexualidade. Esse é o aprendizado de cada um. 
  •  única coisa que não suporto, que me revolta, que não faz nenhum sentido, é a agressão e a violência. Se não posso aceitar que se interfira na individualidade de alguém, muito menos posso conceber que alguém faça mal ao outro por causa de uma escolha sexual, uma camisa de futebol, um gosto musical, e por aí vai. Eu nunca irei entender, nunca, como alguém é capaz de agir nesse sentido, de entrar na vida de outro e causar qualquer tipo de dor, de trauma, de ferida. Vocês também não, tenho certeza. Então vamos unir as nossas forças em torno do que realmente interessa: a Paz. Vamos trabalhar em prol do entendimento, pela tolerância e pelo Amor. Façamos da nossa vida um exemplo.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home